Aumento de vandalismo em lixeiras preocupa a gestão municipal em Goiânia

Em um recente episódio de vandalismo urbano, a Prefeitura de Goiânia, por intermédio da Companhia de Urbanização (Comurg), enfrenta desafios com a destruição de lixeiras na emblemática Praça do Trabalhador. As unidades, parte de um projeto de revitalização urbana, foram alvos de vandalismo, sendo arrancadas e abandonadas nas calçadas, um ato que se soma a um crescente padrão de desrespeito ao espaço público.

A situação, conforme relatada por Alisson Borges, presidente da Comurg, é especialmente preocupante na Praça do Trabalhador, um local de grande circulação e importância econômica e cultural. “É profundamente desalentador observar tal negligência com o patrimônio público, especialmente em um espaço tão vital como a Praça do Trabalhador”, expressou Borges. Ele destacou que a frequência desses atos vem aumentando, com uma média de duas lixeiras sendo vandalizadas semanalmente, culminando em um gasto significativo para a reposição.

Este cenário destrutivo não se restringe apenas à Praça do Trabalhador. A Comurg reporta a substituição de cerca de 30 lixeiras por mês em toda a cidade, um número que reflete um grave problema de civismo. Paralelamente, a Prefeitura tem trabalhado na instalação de novas lixeiras em regiões de intenso comércio, como a Região da 44, onde recentemente foram fixadas cem unidades. A intenção é não apenas embelezar, mas também incentivar o descarte correto de resíduos, uma medida que se alinha ao respeito pelo patrimônio público.

Borges fez um apelo à comunidade, salientando a importância da manutenção dos espaços públicos e da conscientização sobre o impacto do vandalismo. Com 345 lixeiras comuns e 413 lixeiras tipo concha já instaladas, e outras 300 prontas para serem colocadas, a Prefeitura de Goiânia enfatiza a necessidade de um esforço coletivo para preservar o bem-estar e a beleza da cidade. “Precisamos da colaboração de todos para manter Goiânia um lugar acolhedor e ordenado”, concluiu Borges, evidenciando a necessidade de ação conjunta para superar este desafio urbano.

Avalie o Post post

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo