Controladoria Geral do Estado assessorou consultoria na ampliação do Complexo Prisional de Aparecida

Na manhã desta segunda-feira (04/12), Henrique Ziller, secretário-chefe da Controladoria-Geral do Estado de Goiás (CGE), realizou uma visita ao Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, a convite da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP). O objetivo da visita foi familiarizar-se com as obras de construção de novas celas, parte integrante do ambicioso projeto de expansão do complexo.

Acompanhado pela auditora-chefe da CGE-GO especializada em segurança pública, Cintia Villac, o controlador-geral desempenhou um papel crucial na consultoria prestada à DGAP para a gestão de riscos associados ao projeto de ampliação. Josimar Pires, diretor da Administração Penitenciária do Estado, e Renato de Abreu, diretor de Engenharia da DGAP, guiaram a visita, destacando os detalhes estratégicos do empreendimento.

A expansão foca principalmente na Casa de Prisão Provisória (CPP) e na Penitenciária Coronel Odenir Guimarães (POG), projetando a criação de 1,6 mil novas vagas. Pires expressou otimismo quanto à solução para a superlotação carcerária, afirmando: “Com toda certeza, vamos reduzir, e muito, a superlotação em nossos presídios, com a construção de uma quantidade tão grande de vagas de uma única vez”.

Destaca-se que as obras empregam uma metodologia de construção avançada, caracterizada pela alta tecnologia. O método modular (pré-fabricado) é um dos destaques, no qual 85% da construção ocorre dentro da indústria, com a montagem subsequente no local. A previsão de entrega do projeto é até março de 2024, prometendo uma significativa contribuição para o sistema prisional do estado.

Avalie o Post post

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo