Debate sobre esporte, arte e lazer para inclusão de pessoas com deficiência marca audiência pública promovida por Willian Veloso

Willian Veloso, vereador pelo PL, liderou uma audiência pública na última terça-feira (5), focada na discussão crucial sobre como o esporte, o lazer, a cultura e a arte podem atuar como poderosos agentes de inclusão para pessoas com deficiência. O evento, parte das celebrações do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, destacou a importância de proporcionar oportunidades a fim de gerar visibilidade e protagonismo para essa comunidade.

Durante a abertura, o parlamentar destacou: “O esporte, aliado à arte e ao lazer, é um instrumento poderoso para a inclusão social, oferecendo oportunidades que permitem a essas pessoas deixarem de viver isoladas e passarem a integrar dignamente a sociedade.”

João Batista Turibio, diretor de Paradesporto da Superintendência de Desporto ligada à Secretaria Municipal dos Esportes, revelou que, embora a pasta tenha projetos em andamento, ainda não consegue atender plenamente às mais de 1.200 crianças com deficiência matriculadas na rede de ensino municipal. Destacou como desafio principal a garantia da continuidade dessas pessoas nos programas derivados de políticas públicas.

O relato emocionante de Ana Geralda dos Santos, diretora da Escola Municipal Dona Angelina Pucci Limongi, sobre a transformação na vida de sua filha Maria Clara, atleta com deficiência, ilustrou como o esporte se tornou um divisor de águas. As conquistas da jovem nos Jogos Paralímpicos nacionais deste ano – duas medalhas de prata e uma de ouro – não só a tornaram uma atleta de destaque, mas também impulsionaram sua integração na escola e relacionamentos, mostrando às pessoas ao redor sua capacidade para além das limitações.

Ana Carolina Reis, medalhista de ouro nos Jogos Parapan-Americanos de 2023, ressaltou como o esporte foi transformador em sua vida, ajudando-a a aceitar e evoluir como ser humano.

A audiência também foi palco da apresentação da coreografia “Cumplicidade” pela professora da Universidade Federal de Goiás (UFG) e presidente da Associação Brasileira de Atividades Motoras, Vanessa Dalla Dea, e sua filha Ana Beatriz. A performance retratou a história de vida de uma mulher com Síndrome de Down e sua mãe, evidenciando a importância da inclusão na cultura e destacando a falta de acessibilidade em espaços culturais para pessoas com deficiência.

Willian Veloso informou que a Câmara Municipal revogou o veto do prefeito Rogério Cruz (Republicanos) ao projeto de lei que torna obrigatória a acessibilidade nos eventos públicos, uma medida crucial para garantir a participação e inclusão dessas pessoas em todas as esferas da sociedade.

Avalie o Post post

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo