Estudantes da UFG conquistam vaga na final de programação no Cazaquistão

Estudantes do Instituto de Informática da Universidade Federal de Goiás (UFG) foram selecionados para a fase final do Concurso Internacional de Programação Universitária, que ocorrerá de 15 a 20 de setembro em Astana, no Cazaquistão. A equipe “Monkeys: Karasuno”, formada por Nelsi de Sousa Barbosa Junior, Dayllon Xavier e Gustavo Machado, recebeu apoio financeiro do Governo de Goiás por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg).

O concurso, conhecido como International Collegiate Programming Contest (ICPC), é a competição mais prestigiada de programação algorítmica para universitários. Os goianos garantiram a classificação ao ficarem em 10º lugar na etapa continental da América Latina, realizada na Universidade Jesuíta de Guadalajara, no México. O patrocínio veio de um convênio com a UFG, que investirá R$ 200 mil até 2026 em pesquisa, desenvolvimento e inovação.

O presidente da Fapeg, Marcos Arriel, comemorou a conquista e destacou que o Estado de Goiás tem o compromisso de proporcionar oportunidades para que os jovens brilhem em competições internacionais. “A classificação da equipe para a final mundial é um grande orgulho para Goiás e demonstra a excelência dos nossos estudantes e instituições. O apoio financeiro do Governo de Goiás, por meio da Fapeg, foi essencial para que esses talentos pudessem se preparar adequadamente e competir em um nível tão alto”, afirmou.

O coordenador da equipe, professor Humberto José Longo, ressaltou que as várias etapas preparatórias e classificatórias para o mundial são essenciais para desenvolver habilidades como resolução de problemas, aprimoramento das relações interpessoais, autogestão, automotivação e competências técnicas. Ele também enfatizou que o apoio financeiro do Governo de Goiás foi crucial. “A garantia desse apoio permite que os estudantes permaneçam focados no estudo, preparação e treinamentos”, comentou.

Gustavo Machado, um dos integrantes da equipe, relatou que a intensa preparação para as competições, com treinos diários de pelo menos quatro horas, exige muita dedicação. “O evento dura cerca de cinco horas, mas para competir em alto nível é necessário treinar intensamente por pelo menos quatro horas ao dia. Participando, aprendi a manter o foco, a trabalhar em equipe e percebi que poderia competir com pessoas que pareciam inalcançáveis”, relatou.

A maratona de programação é voltada para alunos de graduação e início de pós-graduação nas áreas de Computação e afins, como Ciência da Computação, Engenharia de Computação, Sistemas de Informação e Matemática. O evento reúne estudantes em um ambiente colaborativo, onde, além de competirem de forma saudável, podem interagir com colegas de outras instituições, demonstrar suas habilidades em resolver problemas, programar e trabalhar em equipe.

5/5 - (1 vote)

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo