Fávaro Assegura que Importação de Arroz Não Competirá com Produtores do RS

Carlos Fávaro, Ministro da Agricultura e Pecuária, reiterou nesta quarta-feira (15), em São Paulo, que a importação de arroz pelo governo federal tem o intuito de evitar a especulação de preços e não de competir com os agricultores do Rio Grande do Sul. Durante sua participação no APAS SHOW, o maior evento de alimentos e bebidas das Américas e a principal feira de supermercados do mundo, realizada no Expo Center Norte, Fávaro tranquilizou os produtores.

“Queremos deixar claro que a intenção do governo não é prejudicar os produtores gaúchos, mas sim oferecer estabilidade ao mercado”, afirmou o ministro. Ele anunciou que uma medida provisória será lançada em breve, trazendo benefícios diretos aos cultivadores de arroz do estado.

Na ocasião, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou que as importações programadas para a próxima terça-feira (21) incluem até 104.034 toneladas de arroz, destinadas a mitigar os impactos econômicos e sociais das recentes enchentes no Rio Grande do Sul. O arroz importado será vendido ao consumidor por um preço máximo de R$ 4 por quilo. Edegar Pretto, presidente da Conab, destacou que a embalagem especial indicará claramente o preço de venda.

Fávaro enfatizou que a decisão pela importação visa evitar desabastecimento e alta nos preços, destacando que o Rio Grande do Sul responde por 70% do arroz consumido no país. Ele reconheceu a capacidade produtiva do estado, mas ressaltou os desafios logísticos e de prazos.

Além do arroz, o ministro comentou sobre o cultivo de trigo no Rio Grande do Sul, notando que, apesar de alguns desafios enfrentados por produtores, a temporada de plantio não está atrasada. “A situação atual não compromete a safra de trigo. Estamos atentos e agindo para assegurar que não haverá atrasos significativos”, concluiu Fávaro.

Avalie o Post post

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo