Idosos em risco de quedas: ortopedistas explicam como prevenir acidentes

Avalie o Post post

No dia 24 de junho, a Organização Mundial da Saúde (OMS) promove o Dia Mundial de Prevenção de Quedas em Idosos, uma data também marcada no Calendário da Saúde do Ministério da Saúde. A Sociedade Brasileira do Trauma Ortopédico usa essa ocasião para alertar sobre os riscos frequentes de quedas no ambiente doméstico entre idosos e oferecer orientações sobre como evitá-las.

Dados do Datasus revelam que, no primeiro bimestre de 2024, houve 17.136 atendimentos hospitalares e 9.658 atendimentos ambulatoriais envolvendo idosos com idades entre 60 e 110 anos. Em 2023, foram registrados 106.401 atendimentos hospitalares e 45.684 ambulatoriais.

Marcelo Tadeu Caiero, presidente da Sociedade Brasileira do Trauma Ortopédico, explica que diversos fatores podem aumentar a incidência de quedas entre os idosos, incluindo fraqueza muscular, efeitos colaterais de medicamentos, distúrbios neurológicos, doenças ortopédicas e problemas de visão e audição.

Embora acidentes domésticos possam ocorrer com pessoas de todas as idades, os idosos são particularmente vulneráveis a quedas dentro de casa, o que pode resultar em sequelas dolorosas e permanentes. “A recuperação de fraturas em idosos é complicada, muitas vezes exigindo cirurgia ou longos períodos de imobilização devido à fragilidade óssea e à perda muscular”, diz Caiero.

Para prevenir quedas, Caiero recomenda uma abordagem multidisciplinar, incluindo avaliação clínica e acompanhamento médico para identificar condições de saúde que aumentem o risco de queda. Além disso, exercícios físicos regulares para melhorar a força muscular e o equilíbrio, juntamente com uma dieta balanceada, são fundamentais.

Outras medidas preventivas incluem a remoção de obstáculos, a instalação de barras de apoio em banheiros e a melhoria da iluminação doméstica. “Idosos devem adaptar suas casas e evitar roupas e calçados que aumentem o risco de tropeços”, orienta Caiero. Recomenda-se também evitar tapetes soltos, instalar corrimãos em escadas e corredores, usar tapetes antiderrapantes em banheiros, evitar pisos molhados, não encerar a casa e manter a iluminação noturna. Ao sair, é importante aguardar que o transporte pare completamente antes de subir ou descer, usar faixas de pedestres e, se necessário, recorrer a bengalas ou muletas.

Mostre mais

# Gil Campos

Gil Campos é jornalista, publicitário e fundador/diretor do Jornal Folha de Goiás, Jornal Opinião Goiás e Agência Ideia Goiás. Fale com Gil Campos Whatsapp (62) 99822-8647 [email protected] [email protected] [email protected]

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo