Jornais de Goiás – Trump volta atrás e diz que “é claro” que relataria interferência estrangeira

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou atrás nesta sexta-feira sobre se relataria qualquer interferência estrangeira em uma campanha política às forças da lei de seu país, dizendo à Fox News em uma entrevista que “é claro” que contataria as autoridades.

Em uma entrevista à ABC News mais cedo nesta semana, Trump disse que aceitaria a assistência de uma entidade estrangeira que quisesse intervir na política norte-americana, afirmando não haver “nada de errado” nisso.

Ele também disse à ABC que discorda da posição do diretor do FBI, Christopher Wray, de que campanhas políticas deveriam relatar comunicações suspeitas de governos estrangeiros.

“É claro que você tem que analisar… mas é claro, você a entrega ao FBI ou a relata ao secretário de Justiça ou alguém assim”, disse Trump à rede Fox nesta sexta-feira. “Você não poderia deixar isso acontecer com nosso país, e todos entendem isso”.

Na quarta-feira, seu filho Donald Trump Jr. foi questionado por um comitê do Senado dos EUA em uma sessão fechada a respeito de uma reunião de junho de 2016 na Trump Tower de Nova York, na qual uma advogada russa ofereceu informações prejudiciais sobre Hillary Clinton, a candidata democrata na eleição presidencial de 2016.

Ao saber do tópico da reunião, o jovem Trump escreveu em um e-mail: “Adorei”. Mas pessoas que compareceram ao encontro disseram mais tarde que ele foi focou em outras questões.

O procurador especial Robert Mueller analisou a reunião durante sua investigação sobre a interferência russa na eleição presidencial de 2016. Ele documentou amplos contatos entre a campanha Trump de 2016 e a Rússia, mas não estabeleceu que membros da campanha conspiraram com Moscou.

Avalie esta postagem

# Reuters

Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo