Jornal de Goiás – Empresas da UE em Cuba serão protegidas das sanções dos EUA

A União Europeia pode levar os Estados Unidos à Organização Mundial do Comércio ou usar sanções retaliatórias para proteger suas empresas em Cuba depois que o presidente Donald Trump suspendeu a proibição de que cidadãos norte-americanos ajuizem processos contra investidores no país.

“A UE considera que a aplicação extraterritorial de medidas restritivas unilaterais é contrária ao direito internacional e recorrerá a todas as medidas apropriadas”, afirmou Federica Mogherini, chefe de política externa da UE, em um comunicado.

Mogherini disse que essas medidas podem incluir um caso da Organização Mundial do Comércio sobre o assunto ou usar um “Estatuto de Bloqueio” que permite que empresas da UE processem nos Estados Unidos a recuperação de quaisquer danos de requerentes nos tribunais da UE.

Mogherini disse que a UE também buscaria apoio de outros países, embora ela não os identificou. As empresas europeias, bem como canadenses, investiram nos setores de energia e turismo de Cuba e a decisão de Trump provavelmente estreitará os laços.

A administração Trump, no mês passado, suspendeu uma proibição de longa data contra cidadãos norte-americanos que movem ações contra empresas estrangeiras que usam propriedades confiscadas pelo governo comunista de Cuba desde a revolução de 1959 de Fidel Castro.

A principal mudança política, que o Departamento de Estado disse que poderia atrair centenas de milhares de ações judiciais no valor de dezenas de bilhões de dólares, pretende intensificar a pressão sobre Havana, exigindo o fim do apoio cubano ao presidente socialista da Venezuela, Nicolas Maduro. .

Mostre mais

# Joana Silva

Joana é colunista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo