Jornal de Goiás – Equador vai apelar à decisão de exploração de petróleo na Amazônia

O governo equatoriano anunciou no sábado que vai recorrer da decisão da tribo indígena Waorani, que bloqueia a entrada de empresas de petróleo em terras ancestrais da Amazônia para atividades de exploração.

O Ministério de Energia e Recursos Naturais Não-Renováveis ​​disse em comunicado que “recorrerá da decisão, uma vez que, embora documentos e vídeos tenham sido apresentados e a conformidade com todos os padrões tenha sido demonstrada, eles não foram levados em consideração”.

Depois de duas semanas de deliberações, um tribunal criminal em Puyo, na região central do Equador, aceitou na sexta-feira uma oferta Waorani por proteção judicial na província de Pastaza para interromper um leilão de petróleo depois que o governo decidiu abrir 180 mil hectares para exploração.

As terras são protegidas sob a constituição do Equador que estabelece os direitos “inalienáveis, invisíveis e indivisíveis” dos povos indígenas “para manter a posse de suas terras ancestrais e obter sua livre adjudicação”.

Crucialmente, no entanto, a riqueza no subsolo é de propriedade do estado.

A constituição também consagra a necessidade de consulta prévia sobre quaisquer planos para explorar os recursos subterrâneos, dados os prováveis ​​impactos ambientais e culturais nas comunidades tribais.

O estado chegou a um acordo com os Waorani sobre a exploração de petróleo em 2012, mas os líderes da tribo disseram que foram enganados.

Os juízes ordenaram que o governo realizasse uma nova consulta, aplicando os padrões estabelecidos pela Corte Interamericana de Direitos Humanos, sediada em San José.

Mostre mais

# Rafael Souza

Rafael é colunista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo