Jornal de Goiás – México reforçará infraestrutura na fronteira sul para combater imigração

O México precisa melhorar significativamente a infraestrutura na fronteira sul com a Guatemala para cumprir com sucesso o acordo firmado na semana passada com os Estados Unidos para reduzir a imigração, disse o ministro das Relações Exteriores mexicano, Marcelo Ebrard, nesta terça-feira.

Falando em uma coletiva de imprensa de rotina do governo, Ebrard disse que no passado o país não priorizou o suficiente sua fronteira sul e que o Estado precisa ter uma presença mais forte ao longo da divisa para lidar com o fluxo de imigrantes.

México e EUA assinaram um acordo na sexta-feira, em que o governo mexicano concordou em adotar medidas para controlar o fluxo de pessoas vindas da América Central, o que inclui o deslocamento de seis mil soldados de uma nova Guarda Nacional para a fronteira com a Guatemala.

O acordo evitou tarifas crescentes, começando em 5%, sobre produtos mexicanos que o presidente dos EUA, Donald Trump, ameaçou impor a menos que o México faça mais para conter a imigração.

Mas na segunda-feira o governo mexicano disse que tem 45 dias para mostrar que as medidas estão dando resultado.

Respondendo a perguntas ao lado do presidente, Andrés Manuel López Obrador, Ebrard disse que o México está acelerando o envio da Guarda Nacional para a fronteira com a Guatemala e que todos os imigrantes entrando no México terão que se registrar com as autoridades.

Para cumprir os compromissos com os EUA, as instalações imigratórias mexicanas no sul terão que ser reformadas, acrescentou Ebrard.

“É preciso haver uma presença diferente do Estado mexicano no sul”, afirmou ele aos repórteres, observando que a infraestrutura da divisa sul com a Guatemala foi negligenciada durante anos enquanto a fronteira norte era modernizada.

“Você vai ao sul e a primeira coisa que se pergunta é ‘certo, onde está a fronteira?’ Não há nada. A ideia é fazer o sul como o norte, tanto quanto possível”.

Ebrard disse que será necessário construir instalações provisórias antes de se implantar um plano mais amplo para lidar com o fluxo de imigrantes centro-americanos.

“Porque a realidade é que é preciso fazer um esforço muito grande”.

Avalie esta postagem

# Reuters

Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo