Jornal Folha de Goiás – Comic-Con lamenta partida da estrela de ‘Walking Dead’

O ator britânico Andrew Lincoln apareceu como xerife Rick Grimes em quase todos os episódios desde que "The Walking Dead" foi ao ar pela primeira vez em 2010

A maior convenção de fãs do mundo ofereceu uma despedida comovente à estrela do maior sucesso da história da TV a cabo na sexta-feira, quando zumbis tomaram conta da San Diego Comic-Con.

Uma extensa lista de estrelas surgiu no amplo centro de convenções da cidade para estimular o apetite por “The Walking Dead”, da AMC, e seu show “Fear the Walking Dead”.

A saída do ator britânico Andrew Lincoln, que apareceu como xerife Rick Grimes em quase todos os episódios desde o piloto de 2010, tem sido um segredo aberto desde maio, confirmado inadvertidamente pelo produtor executivo Robert Kirkman.

Mas o anúncio oficial foi reservado para a Comic-Con, uma celebração anual da cultura pop que atrai mais de 100.000 devotos para o sul da Califórnia, muitos deles em trajes elaborados, todo mês de julho.

“Parece haver um elefante na sala. Esta será minha última temporada fazendo o papel de Rick Grimes”, disse Lincoln, de 44 anos, ao recinto do Hall H, lotado de 6.500 pessoas, provocando um murmúrio consternado que se espalhou pela arena.

“Eu amo esse show. Significa tudo para mim. Eu amo as pessoas que fazem este show. Prometo não chorar. Já fiz o suficiente chorando na tela”, Lincoln prometeu.

Baseado em uma história em quadrinhos com o mesmo nome por um trio de escritores, incluindo um dos produtores executivos da série, Robert Kirkman, a visão pós-apocalíptica dos Estados Unidos retratada em “The Walking Dead” mostrou-se singularmente ressonante.

Enfrentando a competição como “Game of Thrones” da HBO nos EUA, tem a maior audiência total na história da TV a cabo e, crucialmente, a audiência mais alta de 18 a 49 anos para qualquer tipo de televisão dos EUA entre 2013 e 2017.

– ‘Tensões subindo’ –

O espetáculo é centrado em Lincoln’s Grimes, que acorda em uma cama de hospital depois de ser baleado, apenas para descobrir que ele está sozinho em um mundo de cadáveres reanimados viciosos e carnívoros – conhecidos como “caminhantes” no programa.

“Eu fiquei meio abalada. Passaram nove anos aqui”, disse Lincoln a repórteres depois de sua última estada em San Diego, em nome de “The Walking Dead”.

“Eu amo este lugar e adoro ver os fãs, e você tem sido uma parte vital dessa experiência. Mas meu relacionamento com o Sr. Grimes está longe de terminar.”

Não ficou claro se ele estava falando sobre as filmagens atuais para seus episódios finais, a possibilidade de aparecer em um dos inúmeros projetos paralelos da franquia, ou algo completamente diferente.

A nona temporada, que acontece em outubro, acontece dois anos depois da saga “All Out War” dos dois anteriores, com a editora de história Angela Kang assumindo o papel do veterano showrunner Scott Gimple.

A AMC deixou cair um trailer com duração de quase seis minutos na Comic-Con, que mostra Rick em tempos mais pacíficos como líder de um amplo assentamento de sobreviventes – mas com a tensão crescente entre seus tenentes.

“Fear the Walking Dead” deu início ao zombocalypse de duas horas mais cedo com uma apresentação que os críticos concordaram que parecia estar traçando uma linha em todas as histórias passadas e apresentando um show quase inteiramente novo.

– “Processo de fermentação” –

Exibido desde 2015, “FtWD” não consegue os números históricos do programa principal – mas ainda é uma das séries de TV a cabo mais bem cotadas dos EUA, com pouco menos de dois milhões de telespectadores por episódio.

“Medo” chocou sua legião de fãs ardorosos ao anunciar seu programa e matar seu protagonista – Madison Clark, de Kim Dickens – pouco antes do intervalo da quarta temporada.

O elenco restante – incluindo as consagradas estrelas Colman Domingo, Alycia Debnam-Carey, Danay Garcia e os recém-chegados Lennie James, Garret Dillahunt, Maggie Grace e Jenna Elfman – falou apaixonadamente sobre seu trabalho.

Mas não demorou muito para que a conversa com jornalistas entrasse em uma conversa sobre se zumbis eram capazes de “cocô”, bem como rosnando e embaralhando.

O tom foi abaixado quando Gimple mencionou de passagem que o personagem de James, Morgan, um crossover do programa principal, é visto no banheiro em um episódio próximo e foi perguntado se zumbis “cocô”.

“O que eu disse? Vai ser a próxima coisa que as pessoas querem saber! É exatamente o que eu disse!” assistiu a um falso James exasperado.

“Acho que há um processo de fermentação que pode resultar em projéteis”, ofereceu um irônico Gimple, claramente divertido com a perspectiva.

Grace, mais famosa pelos filmes “Lost” e “Taken”, da ABC, desdenhou, no entanto, explicar que ela não entrava realmente em questões “escatológicas”.

Ela foi um jogo o bastante para sugerir, no entanto, que talvez já estivéssemos testemunhando o efeito de muitos apelos zumbis da natureza em cada episódio.

“É por isso que eles andam tão estranhamente”, disse ela.

A quarta temporada de “Fear The Walking Dead” é ​​retomada em 12 de agosto.

Mostre mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo