DestaqueManchetesMundoTecnologia

Jornal Folha de Goiás – Congresso tem menos de 50 votos após aprovação de uma moção para salvar a neutralidade da rede

Em maio, o deputado Mike Doyle (D-PA) entrou com uma petição de alta que forçaria a Câmara a votar a moção do CRA, e vem coletando assinaturas desde então. 

O Congresso tem menos de 50 votos para aprovar uma medida que restauraria as regras de neutralidade da rede na internet. A moção , que foi aprovada no Senado em 16 de maio , usaria a Lei de Revisão do Congresso (ou CRA) para desfazer a ordem de dezembro de Ajit Pai, efetivamente restaurando as proteções de neutralidade da rede aprovadas em 2015.

Em maio, o deputado Mike Doyle (D-PA) entrou com uma petição de alta que forçaria a Câmara a votar a moção do CRA, e vem coletando assinaturas desde então. Sob as regras atuais, uma maioria de 218 representantes são obrigados a forçar uma votação da Câmara novamente a aprovar a moção, enviando a petição para a mesa do presidente, onde ela estaria sujeita a veto. No momento da impressão, 170 representantes haviam assinado em apoio.

“Com o presidente em oposição à neutralidade da rede, a única maneira de trazê-la para a plenária para uma votação é por meio de uma petição de alta”, disse Doyle em um comunicado de imprensa no mês passado .

A neutralidade da rede não é a única questão que tenta forçar o caminho até o Congresso por meio de uma petição de alta. Democratas e republicanos moderados estão atualmente usando essa mesma tática para impulsionar uma votação no programa Ação de Deferimento para Chegadas Infantis. Essa petição só precisa de mais algumas assinaturas antes de forçar uma votação.

A ordem de dezembro do Ajit Pai está marcada para entrar em vigor na segunda-feira, 11 de junho, cerca de seis meses depois de ter sido aprovada pela FCC em 3 a 2 votos.

Jornal Folha de Goiás – Congresso tem menos de 50 votos após aprovação de uma moção para salvar a neutralidade da rede
5 (100%) 1 vote
Tags

# Rafael

Rafael é colunista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *