DestaqueGoiâniaGoiásJornal Folha de GoiásManchetesPrefeitura de Goiânia

Jornal Folha de Goiás: Goiânia – Moradora revela que recebeu oferta de cesta básica para falar bem de secretária

Celina Lopes Teixeira arrancou os dentes com um alicate porque não conseguiu atendimento na rede pública. Depois de aparecer em rede nacional, recebeu visita da secretária Municipal de Saúde, acompanhada por uma comitiva

Jornal Folha de Goiás: Goiânia – Moradora revela que recebeu oferta de cesta básica para falar bem de secretária
5 (100%) 4 votes

Jornal Folha de Goiás: 06 dezembro 2017 – 14:48

Goiânia – A Comissão Especial de Inquérito que investiga a situação da Saúde em Goiânia ouviu como convidada, nesta quarta-feira, a moradora do Real Conquista Celina Lopes Teixeira, que apareceu em rede nacional depois de arrancar os dentes com alicate por falta de atendimento no Município. Celina disse que a secretária de Saúde, Fátima Mrué, acompanhada por uma comitiva, foi à casa dela depois da exibição da reportagem e que recebeu uma proposta. “O Carlinhos do Esporte me ofereceu três meses de cesta básica. Disse que não ia faltar alimento pra minha família. E depois pediu para eu falar bem da secretária nas entrevistas”, afirmou hoje aos vereadores.

“Essa afirmação é gravíssima, é crime e vai ser investigado. Vamos encaminhar todos os documentos e cópia do depoimento à Delegacia Estadual de Repressão a Crimes contra o Patrimônio Público, onde já foi iniciado inquérito para investigar a omissão da prefeitura, que suspendeu o atendimento odontológico”, explica o relator da CEI, vereador Elias Vaz (PSB). “Isso caracteriza, entre outros crimes, constrangimento ilegal”, reforça o vereador delegado Eduardo Prado (PV), que acompanhou o depoimento.

Celina desmentiu a afirmação da secretária Fátima Mrué de que teria o hábito de retirar os dentes sozinha. Em depoimento ontem à CEI, a superintendente de Redes de Atenção à Saúde, Luciana Curado, afirmou: “A secretária disse que foi à casa dela e me contou que a paciente tinha esse costume. Eu até perguntei ‘como assim?’”

Indignada, Celina conta que a secretária de Saúde sugeriu que a gravação da reportagem seria uma armação. “Ela perguntou se alguém pediu pra eu fazer drama, pra eu chorar e como eles tinham chegado até mim”. A atitude irritou os vereadores. “Ao invés de assumir o problema grave na área odontológica, de oferecer assistência à moradora que chegou a essa ação extrema por desespero, a secretária tenta ridicularizar o trabalho dos jornalistas, tenta culpar terceiros por um problema que é de responsabilidade dela”, assinala Elias Vaz.

A CEI aprovou a convocação do servidor público federal, que foi candidato a vereador pelo PMDB em 2008 e 2012, Carlinhos do Esporte. Ele teria feito a proposta de oferta de cesta básica em troca de elogios à secretária. A previsão é de que ele seja ouvido na próxima segunda-feira.

Números

Ontem, a gerente de saúde bucal de Goiânia, Ana Paula Nomelini, admitiu que a situação na rede municipal é caótica. Das 87 unidades da capital, apenas 10 oferecem algum tipo de atendimento. Nas outras, os procedimentos não são feitos porque está faltando anestésico.

Em março, a gerente enviou ofício às unidades informando que deveriam feitos apenas atendimentos de urgência justamente pela falta de anestésico. E, apesar de haver autorização para compra desde agosto, até hoje o material não chegou às mãos dos 374 odontólogos da rede.

Segundo a gerente, até agora a prefeitura realizou 37 mil atendimentos. Elias Vaz fez as contas. “Dividindo pelo número de profissionais e os dias trabalhados do ano, dá meio atendimento por dia para cada odontólogo. É uma tragédia. Os profissionais querem trabalhar, a população precisa do atendimento e a prefeitura entrava o serviço”, lamenta o vereador.

 

Tags: Goiânia, Goiás, Jornal Folha de Goiás, Prefeitura de Goiânia, Manchetes

Related Articles

Deixe uma resposta

Check Also

Close
Close