Jornal Folha de Goiás – Humanização marca a média de 90 partos por mês no HEL

Em apenas oito meses de funcionamento, centro obstétrico e maternidade do Hospital Estadual de Luziânia (HEL) alcançam a marca de 658 partos. Além de duas salas de cirurgia para partos cesáreos e 11 leitos de maternidade para acolher as mães

Após oito meses da inauguração da maternidade e centro obstétrico, o Hospital Estadual de Luziânia (HEL) alcançou a marca de 658 partos realizados, dos quais 411 normais e 247 cesáreas, média de quase 90 partos por mês.

A coordenadora da maternidade e centro obstétrico do HEL, Adrienne Câmara, a unidade conta com três salas de atendimento PPP (pré-parto, parto e pós-parto) com atenção humanizada para parturientes e puérperas. Além de duas salas de cirurgia para partos cesáreos e 11 leitos de maternidade para acolher as mães.

Partos

“Noventa e oito por cento das gestantes atendidas na unidade são de Luziânia. Elas relatam satisfação no serviço de saúde prestado e citam a atenção humanizada, acolhedora e respeitosa durante o trabalho de parto e pós-parto”, afirmou.

O presidente do Instituto Patris, Vittor Galdino, ressalta que o sucesso se deve à excelência da qualidade técnica das equipes.

“Enfermeiros(as) e técnicos, bem como demais colaboradores, inclusive médicos(as) e demais profissionais recebem capacitação constante com o objetivo de prestar o melhor serviço de saúde para a população de Luziânia e região. Isso é comprometimento com a vida e com a cidadania, marca registrada da nossa gestão. Mas o nosso maior valor vem da espontaneidade de cada colaborador”, comentou.

Humanização

O centro obstétrico do HEL implementou a política de participação de pais e companheiros durante os partos naturais na unidade do Governo de Goiás no Entorno do Distrito Federal.

Os acompanhantes amparam as mulheres em trabalho de parto e imprimem nova dinâmica na assistência às parturientes. De acordo com a gerente assistencial Ana Carolina Garcia, a medida oferece mais conforto e acolhimento para as mulheres.

“Esse é um dos momentos mais difíceis na vida de uma mulher. O parto é o instante em que ela se desdobra em esforços e passa muitas dores para dar à luz seu bebê. Garantir amparo e suporte psicológico é de fundamental importância e garantir isso significa a aplicação de todos os conceitos de humanização da saúde na prática”, explica.

Acolhimento

As equipes multiprofissionais do HEL mantêm constante contato com as famílias de parturientes, para avaliar se algum pai, marido, companheiro ou mesmo familiar acompanha o trabalho de pré-parto das mães.

Inaugurada em 2022, a unidade tem três salas de pré-parto para nascimentos naturais. O centro obstétrico do hospital conta ainda com diversos dispositivos que facilitam o parto, como bolas grandes de material flexível para as parturientes fazerem as manobras indicadas pelos obstetras, estruturas de madeira para alongamento e alças de suporte para facilitar essas atividades.

“Queremos que as mães se sintam acolhidas e bem assistidas para seu instante de maternidade, que é único e revestido de profundo sentimento e significado”, diz Ana Carolina.

 

Secretaria de Estado de Saúde/Instituto Patris – Governo de Goiás

5/5 - (1 vote)

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo