BrasilCiênciaDestaqueGoiâniaGoiásManchetesMundoSaúde

Jornal Folha de Goiás – Mosquitos esterilizados lançados em Miami para combater a doença

Gerente de operações de campo da Mosquito Mate Patrick Kelly lança mosquitos Aedes aegypti no sul da Flórida, com o objetivo de cortar a população dos insetos portadores de doenças.

Em uma tentativa de cortar a população de mosquitos Aedes aegypti portadores de doenças, funcionários da saúde em Miami estão liberando milhões de seus irmãos tratados com uma bactéria que os torna estéril.

“Trate-os com cuidado! Você não quer machucá-los”, disse o prefeito de South Miami, Philip Stoddard, quando uma amostragem dos insetos foi lançada em um evento de imprensa na quinta-feira.

Os repórteres no scrum da mídia instintivamente atingiram a pequena nuvem de insetos – mesmo que esses mosquitos não mordem porque todos são homens.

Os mosquitos Aedes aegypti, que não são originários da região, transmitem doenças da dengue, Zika e Chikungunya.

A dengue causa febres, erupções cutâneas, náuseas e, em alguns casos, pode ser fatal, enquanto Zika foi responsabilizada por defeitos congênitos sérios.

Em 2016, os temores sobre Zika levaram o órgão de saúde das Nações Unidas a declarar uma emergência sanitária internacional, que terminou em novembro desse ano.

As autoridades da Flórida realizaram fumigações aéreas e terrestres, mas os residentes reclamaram que os pesticidas eram insalubres e ineficazes.

Daí o projeto de mosquito esterilizado de US $ 4,1 milhões, aprovado pelo Departamento de Saúde da Flórida.

Produzido pela empresa americana MosquitoMate, os mosquitos não são geneticamente modificados, mas sim infectados com Wolbachia, uma bactéria que só afeta os insetos e torna os machos estéreis.

“Tudo é biológico e muito seguro para o meio ambiente, não há efeito em outros insetos, não há efeito sobre humanos ou animais de estimação”, disse o gerente de operações de campo do MosquitoMate, Patrick Kelly.

Uma vez que o Aedes aegypti é uma espécie importada, se for totalmente erradicada, não irá abalar o ecossistema da Flórida, disse Kelly à AFP.

“Nosso objetivo é derrubar a população de Aedes aegypti no sul de Miami”, disse Stoddard. “Se isso for bem sucedido, o próximo seria fazê-lo em uma área muito mais ampla”.

Em agosto, milhões de mosquitos Aedes aegypti portadores da mesma bactéria foram lançados no Rio de Janeiro.

Jornal Folha de Goiás – Mosquitos esterilizados lançados em Miami para combater a doença
5 (100%) 1 vote
Tags

# Mariane

Mariane é jornalista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *