CiênciaDestaqueManchetesMundo

Jornal Folha de Goiás – O cheiro de abelha pode repelir elefantes, prevenir conflitos com humanos, diz estudo

Uma manada de elefantes se alimenta em volta do charco no final da tarde no Parque Nacional Pendjari, em Benin, 10 de janeiro de 2018

Os elefantes nunca esquecem uma picada de abelha.

Seus olhos e os sensíveis tecidos moles dentro de seus troncos são particularmente vulneráveis ​​a picadas dolorosas, e especialistas acreditam que os elefantes africanos (Loxodonta africana) aprenderam ao longo dos séculos a reconhecer os odores que as abelhas emitem quando estão assustados e prontos para enxamearem.

Agora, os pesquisadores dizem que esse medo das abelhas pode ser usado para ajudar a repelir as bestas majestosas em lugares onde eles arriscam conflitos com humanos.

Em um teste de campo de três meses no Parque Nacional da Grande Kruger, na África do Sul, cientistas penduraram meias brancas cheias de feromônios de abelhas, que são pistas químicas que as abelhas liberam de seus corpos quando percebem uma ameaça à colmeia.

Um total de 25 dos 29 elefantes que se aproximaram do “mostraram sinais típicos de maior alerta, sinais de incerteza e, finalmente, calmamente se afastaram”, disse o relatório na revista Current Biology.

Para ter certeza de que não eram apenas as meias, mas o odor que emanava delas, os pesquisadores penduravam meias semelhantes que não continham os feromônios e descobriram que os elefantes estavam curiosos sobre as meias, que os pegavam e até os provavam às vezes.

Como alguns fazendeiros na África já colocam colmeias comerciais ao longo de suas cercas para proteger suas plantações dos elefantes, os resultados sugerem que pode haver uma maneira mais barata de evitar conflitos.

“Nossos resultados complementam estudos anteriores que demonstraram que as colmeias ativas podem deter os elefantes das plantações, por exemplo, mas podem ser difíceis de implementar em larga escala”, disse Mark Wright, professor de entomologia do Departamento de Proteção Ambiental e Vegetal. Ciências na Universidade do Havaí em Manoa.

“Esperamos expandir este trabalho para desenvolver ferramentas adicionais para o manejo passivo sustentável de movimentos de elefantes, para aumentar as atuais abordagens utilizadas.”

Jornal Folha de Goiás – O cheiro de abelha pode repelir elefantes, prevenir conflitos com humanos, diz estudo
5 (100%) 1 vote
Tags

# Jonas Sousa

Jonas - Editor, colunista e também responsável pela gestão das redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *