Jornal Folha de Goiás – Seminário sobre cidades eficientes aborda o impacto do governo digital na vida dos brasileiros

Evento reúne representantes do governo, do setor empresarial e acadêmicos para discutir o tema

Representantes do governo federal, do setor empresarial e acadêmicos participam esta semana do Seminário Catarinense de Cidades Eficientes 2021, evento que discute, entre outros temas, o uso das novas tecnologias na gestão pública. A coordenadora-geral de Relacionamento e Portfólio da Secretaria de Governo Digital do Ministério da Economia (ME), Loyane de Sousa Tavares, falou sobre os avanços do país na agenda da transformação digital nos últimos anos.

A gestora ressaltou que a missão do governo federal é aproximar e melhorar a interação dos cidadãos com o Estado, entregando cada vez mais serviços digitais com alta qualidade a todos os brasileiros. “Quando digitalizamos um serviço público, melhoramos a vida das pessoas e a sua relação com o Estado, simplificando e agilizando o atendimento das demandas”, afirmou.

A coordenadora-geral apresentou ainda entregas importantes para a população dentro da Estratégia de Governo Digital, que busca promover um governo centrado no cidadão, integrado, inteligente, confiável, transparente, aberto e eficiente. Ela destacou como a plataforma Gov.br está transformando a vida dos brasileiros e oferecendo serviços que têm grande impacto para a redução da burocracia e dos custos dos serviços públicos, tanto para o governo como para o cidadão. São soluções como a Carteira de Trabalho Digital, Meu INSS, PAG Tesouro, entre outros.

“Hoje nós temos no Gov.br quase 4,7 mil serviços públicos cadastrados, de mais de 200 órgãos, sendo 71% deles já oferecidos de forma digital. São 530 milhões de páginas visitadas mensalmente e estamos caminhando para ser a maior plataforma de governo digital do mundo. No final de julho, chegamos aos 112 milhões de usuários cadastrados, resultado de um esforço de todo o governo federal”, explicou.

Benefícios da adesão de estados e municípios

A articulação em rede entre o governo federal, estados e municípios tem sido fundamental para a aceleração da digitalização de serviços públicos em todo o Brasil. Atualmente, 14 unidades federativas (entre elas Santa Catarina) e 57 municípios já formalizaram suas adesões.

Para o secretário de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, Caio Mario Paes de Andrade, a integração dos demais entes federados ao Gov.br amplia a estratégia digital e permite o compartilhamento de experiências e tecnologias. “Com essa iniciativa, estamos oferecendo soluções para apoiar os governos, em seus diferentes níveis e esferas, na transformação digital de serviços públicos, ampliando ainda mais os benefícios dessa revolução silenciosa que estamos promovendo no país”, ressalta. “Esse é o futuro que queremos, um Estado quase que totalmente digital, prestando serviços e se relacionando com os cidadãos por meio do Gov.br”, completa o secretário.

Um dos benefícios da rede é a possibilidade de uso da plataforma Gov.br sem custos para expandir a oferta dos serviços digitais à população. Um exemplo disso é o login único pelo Gov.br, uma solução para a autenticação de usuários em sistemas de governo que permite diferentes níveis de autenticação, desde a checagem em bases de dados até a biometria facial.

Dessa forma, os estados e municípios que realizam a adesão ao Gov.br também passam a contar com apoio para financiamento junto a agentes de fomentos nacionais e internacionais e participam de programas de capacitação em transformação digital. Além disso, têm oportunidade de reuso sem custo de plataformas e de compartilhamento de soluções e iniciativas inovadoras relacionadas à temática de governo digital.

Ao final da palestra no Seminário Cidades Eficientes 2021, a coordenadora-geral do ME ressaltou que o trabalho do governo na oferta de serviços públicos, em todas as suas esferas, tem que estar sempre focado no cidadão. “A gente percebe que soluções simples dão conta da automação e melhoria de grande parte dos serviços ao permitir que o cidadão tenha essa interação digital com o Estado, pelo seu celular, no sofá de casa. E isso é bom tanto para quem tem a possibilidade de usar o serviço digital quanto para quem precisa do atendimento físico, que agora passa a ter filas menores e menor tempo de atendimento. É um ganho para todo mundo”, concluiu.

 

 

Informações: Ministério da Economia

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo
error: O conteúdo está protegido!