Imagem/Freepik
///

Jornal Folha de Goiás – SP vacina grávidas e puérperas com comorbidades a partir de segunda

2 minutos de leitura

A vacinação de grávidas e puérperas acima de 18 anos e com comorbidades será retomada no estado de São Paulo na próxima segunda-feira (17). O anúncio foi feito hoje (12) pelo governo paulista, que informou que serão utilizadas somente as vacinas CoronaVac e Pfizer/BioNtech para essa vacinação. No caso da vacina da Pfizer/BioNtech, por causa da dificuldade de refrigeração, ela será utilizada apenas para grávidas e puérperas que vivem na capital paulista.

A vacinação de grávidas e puérperas, que começaria ontem (11), foi suspensa em todo o estado paulista após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ter recomendado a suspensão imediata do uso da vacina contra a covid-19 da Oxford/AstraZeneca/Fiocruz para mulheres gestantes. Após a recomendação da Anvisa, o Ministério da Saúde decidiu suspender a vacinação de grávidas com o imunizante.

Ontem pela manhã, antes de iniciar a vacinação de grávidas em São Paulo, o governo paulista anunciou a suspensão de vacinação desse grupo. Hoje, um dia depois, São Paulo decidiu voltar atrás nessa suspensão, mas determinou que a vacina de Oxford/AstraZeneca/Fiocruz não seja utilizada para esses casos.

Segundo o governo paulista, a expectativa é vacinar cerca de 100 mil grávidas ou puérperas com comorbidades do estado.

Para que sejam vacinadas, as grávidas e puérperas vão precisar comprovar o estado gestacional, apresentando a carteira de acompanhamento, o pré-natal ou laudo médico, além do atestado de nascimento da criança, no caso das puérperas. Também vai ser preciso comprovar a condição de risco por meio de exames, receitas, relatórios médicos ou prescrição médica.

As gestantes com comorbidades poderão ser vacinadas em qualquer idade gestacional. Já as puérperas serão vacinadas com o prazo de até 45 dias após o parto.

Relação de comorbidades definidas pelo Ministério da Saúde

• Doenças Cardiovasculares
• Insuficiência cardíaca (IC)
• Cor-pulmonale (alteração no ventrículo direito) e Hipertensão pulmonar
• Cardiopatia hipertensiva
• Síndromes coronarianas
• Valvopatias
• Miocardiopatias e Pericardiopatias
• Doença da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas
• Arritmias cardíacas
• Cardiopatias congênitas no adulto
• Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados
• Diabetes mellitus
• Pneumopatias crônicas graves
• Hipertensão arterial resistente (HAR)
• Hipertensão arterial – estágio 3
• Hipertensão arterial – estágios 1 e 2 com lesão e órgão-alvo e/ou comorbidade
• Doença Cerebrovascular
• Doença renal crônica
• Imunossuprimidos (transplantados; pessoas vivendo com HIV; doenças reumáticas em uso de corticoides; pessoas com câncer).
• Anemia falciforme e talassemia maior (hemoglobinopatias graves)
• Obesidade mórbida
• Cirrose hepática

# EBC

EBC.

Os artigos são de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do veículo.

Deixe um comentário

Mais recente de Blog

SOBRE

Jornal Folha de Goiás é um portal de notícias que produz conteúdos com responsabilidade, credibilidade e sabe da importância de colaborar com  o crescimento do Brasil.

TOP AUTORES

Gil Campos é publicitário e jornalista. E-mail: [email protected]

Os artigos são de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do veículo.

Samira Jorge é a fundadora e jornalista do jornal Folha de Goiás . E-mail: [email protected]

EBC.

Os artigos são de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do veículo.

Newsletter

Jornal Folha de Goiás. Copyright 2012-2022. All rights reserved.

error: O conteúdo está protegido!