DestaqueManchetesMundo

Jornal Folha de Goiás – Terremoto na Indonésia: 34 estudantes mortos na igreja, 52 desaparecidos – Cruz Vermelha

Sulawesi Central foi devastada por um terremoto e um tsunami na noite de sexta-feira, matando pelo menos 844 pessoas

Equipes de resgate da indonésia descobriram os corpos de 34 estudantes mortos quando um deslizamento de terra causado pelo terremoto de sexta-feira na ilha de Sulawesi envolveu sua igreja, disse uma autoridade local de resgate.

“Um total de 34 corpos foram encontrados pela equipe”, disse a porta-voz da Cruz Vermelha da Indonésia, Aulia Arriani, acrescentando que 86 estudantes foram inicialmente encontrados desaparecidos de um acampamento bíblico no Centro de Treinamento da Igreja de Jonooge, no distrito de Sigi Biromaru.

Arriani disse que as equipes de resgate enfrentaram uma jornada árdua para alcançar o deslizamento de terra e recuperar as vítimas.

“O problema mais desafiador é viajar na lama até 1,5 horas a pé, transportando os corpos para uma ambulância”, disse ela.

Sulawesi Central foi devastada por um terremoto e um tsunami na noite de sexta-feira, matando pelo menos 844 pessoas. Um grande tsunami atingiu a cidade litorânea de Palu, varrendo prédios, árvores, carros e os azarados o suficiente para ficar em seu caminho.

Mas há temores de que o pedágio global se acumule significativamente, uma vez que mais regiões isoladas tenham sido alcançadas.

O distrito montanhoso de Sigi Biromaru é uma dessas regiões mais remotas, situada a sudeste da cidade de Palu.

A Indonésia é a nação de maioria muçulmana mais populosa do mundo, mas há pequenos grupos de minorias religiosas, incluindo cristãos, em todo o arquipélago.

Jornal Folha de Goiás – Terremoto na Indonésia: 34 estudantes mortos na igreja, 52 desaparecidos – Cruz Vermelha
5 (100%) 1 vote[s]
Tags

# Jonas Sousa

Jonas - Editor, colunista e também responsável pela gestão das redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo