Jornal Folha de Goiás – Venezuela relata redução da economia em 16,5% em 2016

A economia venezuelana encolheu um enorme 16,5 por cento em 2016, de acordo com um pedido oficial do governo para a Securities and Exchange Commission (SEC) dos EUA.

Jornal Folha de Goiás: 23 dezembro 2017 – 13:31

A economia venezuelana encolheu um enorme 16,5 por cento em 2016, de acordo com um pedido oficial do governo para a Securities and Exchange Commission (SEC) dos EUA.

O país rico em petróleo, mas empobrecido, atribuiu o colapso a uma contração de 9,9 por cento no setor de petróleo e 16,1 por cento na economia não petrolífera.

O relatório de 150 páginas, recebido na quinta-feira pela SEC, também relatou inflação em 274,4 por cento e uma taxa de desemprego de 7,5 por cento no ano civil que termina em 31 de dezembro de 2016.

E revelou uma forte queda nas importações venezuelanas em 2016, quando as compras totalizaram US $ 16,4 bilhões, metade dos US $ 33,3 bilhões do ano anterior.

“Desde 2015, tem havido um agravamento político e social crescente devido à escassez de bens de consumo básicos como resultado de uma queda na produção de alimentos domésticos, acesso limitado às importações em decorrência de restrições cambiais, contrabando, acúmulo e outros problemas de distribuição” observou o relatório.

Também classificou 11,3 por cento da população como “extremamente pobre” em 2014, no ano passado, os números estavam disponíveis, ante 7,1 por cento em 2012.

A SEC exige registros econômicos detalhados de governos estrangeiros que emitem sua dívida nos EUA.

A Venezuela está passando por uma crise econômica aguda que se intensificou em 2014 com a queda dos preços do petróleo, a fonte de 96% de suas receitas de exportação.

Há uma grande escassez de alimentos e medicamentos e uma espiral hiperinflacionária que, de acordo com analistas, ultrapassará 2.000 por cento em 2017.

 

Tags: Economia, Manchetes

Mostre mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo