Pesquisa do IBGE revela que Brasil tinha 9,4 milhões de empresas em 2022

Avalie o Post post

O Brasil possuía 9,4 milhões de empresas e outras organizações formais ativas em 2022. Essas organizações empregaram, até 31 de dezembro, 63 milhões de pessoas, das quais 50,2 milhões (80,0%) eram assalariadas e 12,5 milhões (20%) eram sócias ou proprietárias. Os salários e outras remunerações totalizaram R$ 2,3 trilhões. O salário médio mensal foi de R$ 3.542,19, equivalente a 2,9 salários mínimos.

Os dados são das Estatísticas do Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2022, divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (20).

Em 2022, havia 2,9 milhões de empresas e outras organizações com empregados assalariados, representando 30,4% do total. As empresas sem assalariados somavam 6,6 milhões, correspondendo a 69,6% do total. Essas empresas sem assalariados empregavam 13,5% do pessoal ocupado total (8,4 milhões), todos sócios e proprietários, que representavam 67,4% desse grupo. Elas pagaram apenas 0,4% dos salários e remunerações (R$ 8,6 bilhões), com um salário médio mensal de R$ 2.454,36, equivalente a dois salários mínimos.

Por outro lado, as empresas com assalariados empregavam 86,5% do pessoal ocupado total (54,3 milhões) e 32,6% dos sócios e proprietários (4,1 milhões). Elas pagaram 99,6% dos salários e outras remunerações (R$ 2,3 trilhões), atingindo um salário médio mensal de R$ 3.548,12, equivalente a 2,9 salários mínimos.

A seção de comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas registrou as maiores participações em três das quatro variáveis analisadas: número de empresas e organizações (29,1%), pessoal ocupado total (21,0%) e pessoal ocupado assalariado (19,0%), ficando em terceiro lugar em salários e remunerações (13,0%).

A seção de indústrias de transformação ficou em segundo lugar em pessoal ocupado total (14,0%), salários e remunerações (16,4%) e pessoal assalariado (15,8%). O grupo de administração pública, defesa e seguridade social ocupou o terceiro lugar em pessoal assalariado (15,7%) e foi o primeiro em salários e remunerações (23,3%). A seção de atividades administrativas e serviços complementares ficou na segunda posição em número de empresas (9,8%) e na quarta posição em pessoal ocupado total (9,7%) e pessoal ocupado assalariado (10,4%).

Em 2022, 54,7% do pessoal ocupado assalariado eram homens e 45,3% eram mulheres. Os homens absorveram 58,5% dos salários e remunerações, enquanto as mulheres receberam 41,5%. O salário médio mensal dos homens foi superior ao das mulheres: R$ 3.791,58 contra R$ 3.241,18, respectivamente, uma diferença de 17%.

Em termos de escolaridade, 76,6% do pessoal ocupado assalariado não tinham nível superior e 23,4% tinham. Os assalariados sem nível superior recebiam R$ 2.441,16, enquanto aqueles com ensino superior ganhavam R$ 7.094,17, aproximadamente três vezes mais.

Duas atividades apresentaram maior participação de pessoas com nível superior: educação (64,3%) e atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (60,6%). A administração pública, defesa e seguridade social (47,4%) também se destacou.

Para os ocupados sem nível superior, os setores que mais empregavam eram alojamento e alimentação (96,1%), agricultura, pecuária, produção florestal e aquicultura (94,1%) e construção (92,6%).

Devido a mudanças metodológicas nas fontes de informação, a divulgação de 2022 do CEMPRE quebrou a série histórica iniciada em 2007 e encerrada em 2021. Portanto, os resultados de 2022 não são comparáveis aos anos anteriores.

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo