ANÚNCIO

Situação Alarmante: Dengue Assola Goiás com 42.851 Casos e 44 Mortes

O Governo de Goiás, através da Secretaria da Saúde (SES) e da Defesa Civil do Corpo de Bombeiros Militar (CBM-GO), emitiu um alerta crucial à população, enfatizando a urgência na adoção de medidas preventivas e de combate às doenças propagadas pelo Aedes aegypti, particularmente a dengue. O estado registrou, apenas neste ano, 42.851 casos confirmados da doença, resultando em 44 mortes.

“Este não é o momento de relaxar a vigilância”, enfatizou Cristina Laval, assessora técnica da Superintendência de Vigilância em Saúde da SES.

DENGUE

Atualmente, 128 municípios em Goiás enfrentam situação de emergência devido às arboviroses, incluindo a capital, Goiânia, que recentemente se juntou a essa lista. Cristina Laval expressou preocupação com o fato de Goiânia, uma cidade densamente populosa, apresentar um alto número de notificações da doença.

“Observamos que quanto maior o número de casos de dengue, maior é a quantidade de mortes”, destacou.

Apesar da gravidade da situação, a taxa de vacinação contra a dengue permanece baixa em Goiás. Embora a vacina esteja disponível para crianças de 10 a 14 anos desde fevereiro, apenas 23,9% dessa faixa etária recebeu imunização.

Cristina Laval ressaltou que a vacina é extremamente segura e foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Antes de ser disponibilizada pelo sistema público de saúde, a vacina foi administrada em países europeus e em clínicas privadas.

De acordo com dados da SES, 58,5% das amostras analisadas pelo Laboratório Estadual Central de Saúde Pública Giovanni Cysneiros (Lacen) correspondem ao sorotipo 1 de dengue e 41% ao sorotipo 2, considerado o mais perigoso.

O aumento nos casos de dengue está diretamente associado ao crescimento no número de internações pela doença. Enquanto no ano passado, de janeiro a março, foram registradas 111 internações em Goiás, este ano, no mesmo período, houve 1.131 internações.

COMBATE

O Governo de Goiás continua fornecendo apoio integral aos municípios, disponibilizando insumos, treinamento e orientações por meio dos 177 Gabinetes de Combate à Dengue já estabelecidos. Esses gabinetes, localizados nas Secretarias Municipais de Saúde e nos hospitais, têm a responsabilidade de coletar informações sobre os casos da doença e avaliar as necessidades de insumos, soro e medicamentos para a assistência imediata aos pacientes.

Em colaboração com a Diretoria de Defesa Civil do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás, a SES também orienta a população a continuar eliminando qualquer objeto ou dispositivo que possa acumular água parada.

“É crucial que os residentes realizem inspeções regulares em suas residências, verificando dispositivos atrás da geladeira, ralos de banheiro e calhas que possam estar obstruídas”, enfatizou o comandante da Defesa Civil, cel. Pedro Carlos de Lira.

A superintendente de Regulação, Controle e Avaliação da SES, Amanda Limongi, alertou os pacientes a buscarem atendimento nas unidades básicas de saúde (UBS) e nas unidades de pronto atendimento (UPAs), que estão habilitadas para o primeiro atendimento e a hidratação do paciente. Em caso de agravamento, os pacientes com dengue são encaminhados para hospitais terciários.

“Nosso levantamento mostra que houve um aumento de 64% na demanda de pacientes com dengue em busca de atendimento nos hospitais terciários em relação a fevereiro”, ressaltou.

As 44 mortes por dengue foram registradas em vários municípios, incluindo Anápolis (09), Luziânia (07), Valparaíso de Goiás (03), Uruaçu (03), Águas Lindas (03), Aurilândia (03), Iporá (02), Cristalina (02), Goiânia (01), Cidade Ocidental (01), Novo Gama (01), Alto Horizonte (01), Caldas Novas (01), Senador Canedo (01), Ceres (01), Planaltina (01), Formosa (01), São Luís do Norte (01), Rialma (01) e Mimoso de Goiás (01).

Avalie o Post post

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo