Aparecida de Goiânia reforça medidas contra o aedes aegypti em meio ao período chuvoso

Avalie o Post post

A Prefeitura de Aparecida de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), está emitindo um alerta à população sobre a importância de prevenir a formação de focos de água parada durante o período chuvoso. Nessa temporada, os criadouros do Aedes aegypti tendem a se multiplicar, exigindo um esforço conjunto para conter a propagação da dengue e de outras doenças transmitidas pelo mosquito.

Durante todo o ano, as equipes da Vigilância em Saúde trabalham incansavelmente no combate ao Aedes aegypti por meio de forças-tarefa, campanhas educativas, visitas domiciliares e a coleta de pneus, entre outras estratégias preventivas. Essas medidas são agora intensificadas durante o período chuvoso, e os profissionais de saúde enfatizam a importância da colaboração da população na limpeza de áreas suscetíveis ao acúmulo de água parada.

Durante o mais recente Mutirão de Aparecida, realizado na região do Jardim Alto Paraíso, foram recolhidos impressionantes 6,5 mil pneus. Operações semelhantes são realizadas periodicamente em toda a cidade, visando eliminar os criadouros encontrados em áreas abertas, terrenos baldios e borracharias. Infelizmente, Aparecida de Goiânia viu um aumento nos casos de doenças transmitidas pelo Aedes em 2023, com a SMS notificando um total de 16 mil casos, dos quais 12.465 foram confirmados. Além disso, um óbito devido à dengue foi registrado, e outros seis casos estão sob investigação.

De acordo com a coordenação de zoonoses do município, os bairros mais afetados pela proliferação da dengue incluem Setor Buriti Sereno, Expansul, Colina Azul, Jardim Tiradentes, Independência Mansões, Jardim Olímpico, Serra Dourada I, Bairro Independência e Cidade Livre.

Conforme dados da Secretaria Municipal de Saúde, alarmantes 70% dos focos de dengue são encontrados dentro das residências. Os 30% restantes são compostos por lixo, pneus e entulhos descartados de maneira inadequada, que se tornam criadouros para as larvas do mosquito.

Edson Fernandes, coordenador de vigilância, saúde ambiental e zoonoses de Aparecida, destaca a responsabilidade da população na redução dos focos do mosquito e criadouros de larvas dentro de suas casas. “É fundamental que a população faça inspeções regulares e limpe calhas, caixas d’água, vasos de plantas, pneus, garrafas e outros recipientes suscetíveis ao acúmulo de água”, ressalta.

Além disso, é essencial manter o lixo devidamente fechado e seguir práticas adequadas de descarte de móveis e outros objetos que possam reter a água da chuva. Para auxiliar os moradores, Aparecida oferece o serviço gratuito do Disque-busca, responsável pela retirada e destinação apropriada de móveis velhos e equipamentos eletrônicos. O serviço está disponível de segunda a sexta-feira, com solicitações feitas pelos telefones 3545-9969 e 3283-3644.

A Prefeitura mantém ainda canais de denúncia para que os moradores possam relatar a presença de pneus acumulados, imóveis abandonados, piscinas desprotegidas ou negligenciadas, caixas d’água destampadas e outras irregularidades que possam contribuir para o aumento da infestação das doenças. Os números de contato são 3545-4819 e 3283-3644.

Mostre mais

Jornalista Samira Jorge

Samira Helene Brito Jorge é jornalista e editora-geral do jornal Folha de Goiás desde 2012. E-mail: [email protected]

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo