ANÚNCIO

BNDES lança projeto de R$ 50 milhões para impulsionar periferias brasileiras

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou um investimento significativo de R$ 50 milhões em projetos destinados às áreas periféricas do Brasil. Denominado “BNDES Periferias”, o programa, lançado nesta quinta-feira (21), surge através de uma chamada pública do Fundo Socioambiental (FSA) do BNDES, em colaboração com a Secretaria Nacional de Periferias do Ministério das Cidades.

O principal objetivo desses projetos é promover a inclusão produtiva urbana, priorizando a diversidade e a redução das disparidades sociais. Isso será alcançado por meio da criação de oportunidades de emprego, educação, cultura e integração social nas favelas e periferias listadas no Programa Periferia Viva, do Ministério das Cidades.

Os R$ 50 milhões disponibilizados serão distribuídos em duas iniciativas principais: os Polos BNDES de Desenvolvimento e Cultura e a frente Trabalho e Renda da Periferia. Estima-se que, somando-se investimentos públicos e privados, os recursos totais possam atingir a marca de R$ 100 milhões.

Aloizio Mercadante, presidente do BNDES, enfatizou o compromisso da instituição em combater as desigualdades, concentrando-se na criação de polos culturais e no apoio a iniciativas de geração de emprego e renda. Ele ressaltou a importância de fornecer espaços públicos adequados nas periferias, onde as comunidades possam se engajar em atividades educacionais e profissionais.

No Polo BNDES de Desenvolvimento e Cultura, o banco pretende apoiar a implementação de espaços multifuncionais adaptados para atender às necessidades da comunidade, oferecendo uma variedade de serviços, como cursos, atividades esportivas e culturais. Enquanto isso, na frente Trabalho e Renda da Periferia, serão oferecidos programas de capacitação, mentoria e financiamento para negócios liderados por mulheres, jovens e pessoas negras, visando melhorar seus resultados, expandir seus mercados e facilitar o acesso a financiamentos.

A diretora Socioambiental do BNDES, Tereza Campello, revelou que o projeto teve início em 2023 após discussões com as comunidades locais. A chamada para o primeiro ciclo de projetos estará aberta até 31 de maio, e as inscrições podem ser feitas através do site do banco. Organizações privadas sem fins lucrativos, com experiência na implementação de projetos semelhantes nas áreas abrangidas pela iniciativa, são incentivadas a participar.

Guilherme Simões, secretário de Periferias do Ministério das Cidades, enfatizou a importância da parceria com o BNDES, destacando a identificação dos territórios prioritários para a intervenção inicial.

Além disso, Tereza Campello mencionou que um segundo ciclo do projeto está em fase de elaboração, abordando questões como conectividade, finanças híbridas e o fortalecimento de cooperativas e microcrédito produtivo orientado.

O lançamento do BNDES Periferias contou com a participação de mais de 50 entidades representativas dos movimentos sociais, reunidas na sede do BNDES. Entre elas estavam a Central Única de Favelas (CUFA), o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), a Educafro, o Movimento Black Money, o Banco da Providência, as Redes da Maré, o Instituto Guetto, a Usina de Startups, o Museu da Favela e o Instituto Gerando Falcões, entre outras organizações.

Avalie o Post post

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo