ANÚNCIO

Governo Goiano enfatiza a necessidade de completar vacinação contra monkeypox

O Governo do Estado de Goiás, através da Secretaria de Estado da Saúde (SES), fez um apelo na última quinta-feira (22/02) para que a população pertencente ao grupo de risco se esforce para concluir seu ciclo de vacinação contra a monkeypox. Essa chamada ocorre em meio a uma preocupação crescente, já que apenas 54% dos 2.549 cidadãos elegíveis para a vacinação receberam a primeira dose do imunizante, deixando um alto índice de esquemas vacinais incompletos.

A doença, provocada pelo vírus mpox, manifesta-se por sintomas como erupções cutâneas, febre, e dores pelo corpo, similares à varíola, porém de forma menos severa. A transmissão do vírus se dá por contato direto com as secreções respiratórias, lesões de pele ou fluidos corporais de infectados, além de objetos que estejam contaminados.

A SES esclarece que a prevenção eficaz contra a monkeypox requer a administração de duas doses da vacina, com um intervalo recomendado de 28 dias entre elas. Joice Dorneles, Gerente de Imunização da SES, salienta a importância da segunda dose para a imunização completa e orienta aqueles que não finalizaram o esquema a procurarem os locais de vacinação inicial, que incluem o Hospital Estadual da Mulher Dr. Jurandir do Nascimento, o Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás e o Hospital Estadual de Doenças Tropicais Dr. Anuar Auad.

As doses disponibilizadas pelo Ministério da Saúde ao Estado foram calculadas para cobrir o grupo prioritário e completar os esquemas vacinais já iniciados, sem previsão de novas doses para o começo de outros esquemas. A campanha de vacinação iniciou-se em março do ano passado, visando proteger indivíduos em maior risco de desenvolver formas graves da doença.

Estão aptos à vacinação contra a monkeypox pessoas vivendo com HIV/aids, incluindo homens cisgêneros, travestis e mulheres transexuais acima de 18 anos, profissionais de laboratório expostos ao orthopoxvírus, e aqueles que tiveram contato de risco com infectados, seguindo as diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Segundo a SES-GO, o estado registrou 667 casos confirmados de monkeypox e 2.581 suspeitos desde 2022 até o momento, reforçando a necessidade urgente de adesão completa ao esquema vacinal entre os grupos elegíveis.

Avalie o Post post

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo