Jornal Folha de Goiás – Receita Federal arrecada mais de R$ 127 bilhões em fevereiro de 2021

Valor representa acréscimo (IPCA) de 4,30% em relação ao mesmo período de 2020

Aarrecadação total das Receitas Federais atingiu, em fevereiro de 2021, o valor de R$ 127,7 bilhões, registrando acréscimo real (Índice de Preços ao Consumidor Amplo/IPCA) de 4,30% em relação a fevereiro de 2020.

O resultado da arrecadação no mês de fevereiro foi divulgado nesta segunda-feira (22/3) em coletiva virtual com a participação do ministro da Economia, Paulo Guedes, e do secretário especial da Receita Federal, José Tostes.

“De um lado o Caged anunciando a criação de 260 mil novos empregos, do outro lado o Banco Central relatando o índice de atividade econômica, o dobro do esperado; e agora a Receita Federal anunciando R$127,7 bilhões de arrecadação de fevereiro”, declarou o ministro Paulo Guedes, ressaltando que estes resultados demonstram a recuperação da economia brasileira em meio ao cenário de impacto provocado pela pandemia.

Segundo Guedes, “a economia brasileira tem três diferentes dimensões: criações de emprego, capacidade de arrecadação e ritmo de atividade econômica, e mostrou que estava se recuperando com vigor e que devemos principalmente à camada mais vulnerável, não só o Auxílio Emergencial, mas a vacinação em massa para que eles possam ter um retorno seguro ao trabalho,” disse o ministro.

Desempenho arrecadação na série histórica

No período acumulado de janeiro a fevereiro de 2021, a arrecadação alcançou o valor de R$ 307,9 bilhões, representando um acréscimo pelo IPCA de 0,81%. Trata-se do melhor desempenho arrecadatório desde 2000, tanto para o mês de fevereiro quanto para o bimestre.

Para o secretário especial da Receita Federal do Brasil, José Tostes, “começamos em 2021 com resultados muito bons. Trata-se do melhor desempenho arrecadatório de toda série histórica desde 2000. Tanto para o mês de fevereiro quanto para o primeiro bimestre”, afirmou o secretário especial.

 “Estes excelentes resultados refletem a aderência da arrecadação dos parâmetros macroeconômicos e a vinculação que há entre esses parâmetros e os resultados, aliados ao excelente desempenho da arrecadação do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) e Contribuição Social Sobre Lucro Líquido (CSLL), que além de traduzirem uma melhoria na lucratividade e rentabilidade das empresas, foram impulsionados por pagamentos extraordinários no período na ordem de R$ 6,5 bilhões”, afirmou Tostes.

Quanto às Receitas Administradas pela Receita Federal do Brasil, o valor arrecadado, em fevereiro de 2021, foi de R$ 124,6 bilhões, representando um acréscimo real (IPCA) de 5,70%, enquanto no período acumulado de janeiro a fevereiro de 2021 a arrecadação alcançou R$ 296, 4 bilhões, registrando acréscimo real (IPCA) de 2,44%.

O resultado pode ser explicado, principalmente, pelos fatores não recorrentes, como recolhimentos extraordinários de R$ 6,5 bilhões do Imposto de Renda Pessoa Jurídica/ Contribuição Social sobre Lucro Líquido (IRPJ/CSLL) em janeiro e fevereiro de 2021 e pelos recolhimentos extraordinários de R$ 2,8 bilhões no mesmo período do ano anterior. Além disso, as compensações aumentaram 83% em fevereiro de 2021 em relação a fevereiro de 2020 e 51% no período acumulado. Na tabela abaixo estão discriminados os principais fatores que concorreram para o resultado do mês e do período acumulado de janeiro a fevereiro de 2021.

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo
error: O conteúdo está protegido!