ANÚNCIO

Aedes aegypti no ambiente doméstico e vizinhança são os principais vetores de dengue

A preocupação com o acúmulo de água parada em casa e a atenção à limpeza de áreas abandonadas são fundamentais na luta contra a dengue, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO). A entidade enfatiza que a maioria dos casos de dengue origina-se de mosquitos encontrados nos quintais das residências ou nas proximidades, com 75% dos criadouros situados dentro das casas. O alcance de voo do mosquito Aedes aegypti pode chegar a 100 metros, permitindo-lhe deslocar-se entre diferentes locais em busca de locais adequados para a postura de ovos, caso não encontre água parada suficiente em sua área imediata.

Rasível dos Reis, Secretário de Estado da Saúde de Goiás, destaca a importância de eliminar os potenciais criadouros do Aedes aegypti para prevenir a proliferação do mosquito e, consequentemente, a transmissão de doenças como dengue, zika e chikungunya. O Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa) de 2024 revelou que uma significativa porcentagem de criadouros estava associada ao lixo doméstico.

O ciclo de vida do Aedes aegypti, de 45 dias, e sua capacidade de depositar até 450 ovos em ambientes favoráveis ressaltam a necessidade de manter terrenos baldios e propriedades desocupadas limpas, além da vigilância constante dentro de casa para evitar água acumulada. Medidas preventivas incluem a remoção de recipientes que possam acumular água, a manutenção adequada de piscinas e a eliminação de qualquer outro potencial criadouro.

Além das estratégias de prevenção, é crucial estar atento aos sintomas da dengue, que incluem febre alta, dor de cabeça, dores musculares e nas articulações, fraqueza, entre outros. Sinais de alerta de casos graves, como dores abdominais intensas, vômito constante e sangramentos, exigem atenção médica imediata. A hidratação é um componente chave no tratamento, ajudando a aliviar sintomas e a prevenir complicações sérias, enfatizando a importância de cuidados preventivos e responsabilidade individual na luta contra a dengue.

Avalie o Post post

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo