Médicos anestesistas interrompem serviço nas unidades municipais de saúde de Goiânia

Avalie o Post post

Em 5 de janeiro, a Cooperativa dos Médicos Anestesiologistas de Goiás (COOPANEST-GO) anunciou a suspensão dos serviços de anestesia nas unidades de saúde municipais de Goiânia. A decisão afeta também a rede SUS conveniada na capital, devido à ausência de um contrato formal com a Prefeitura por mais de um ano, resultando em uma dívida de aproximadamente R$ 25,6 milhões.

Contexto da Interrupção

A COOPANEST estabeleceu um contrato de serviços com a Prefeitura em 4 de janeiro de 2016, concluído em 29 de janeiro de 2021, com uma extensão até 31 de janeiro de 2022. Após este período, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) optou por um contrato emergencial, apesar das tentativas da COOPANEST de formalizar um novo processo administrativo legal.

Compromisso dos Anestesistas

Os anestesiologistas mantiveram os atendimentos normalmente durante 2023, apesar da ausência de pagamento, priorizando o bem-estar dos pacientes.

Pagamentos Pendentes à Cooperativa

A COOPANEST agora informa que a Prefeitura não realizou os pagamentos acordados, totalizando uma dívida de quase R$ 26 milhões, incluindo os períodos de dezembro de 2021 a dezembro de 2022 e junho até o último dia de serviço prestado. Negociações anteriores sobre dívidas com o ex-secretário de saúde Durval Pedroso não foram honradas, e o atual secretário Wilson Pollara ignorou as parcelas pendentes. A situação se agravou com a publicação da Portaria n° 424 em 14 de dezembro de 2023 pela SMS, anulando a Portaria n° 33, que definia os valores para os serviços de anestesiologia.

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo